Informações: +55 (83) 2101-1225 | 1221
04 a 06 de dezembro de 2019
CAMPUS DA UFCG
CAMPINA GRANDE - PARAÍBA

Faltam 105 dias
para a abertura do seminário

Grupos de Trabalhos

GTS PROPONENTES/IES EMENTAS
GT1 – ENSINO DA ESCRITA: CONTEXTOS, TEORIAS E METODOLOGIAS Andrea Jane da Silva – UERN

Márcia Candeia Rodrigues – UFCG

Karine Viana Amorin – UFCG

Este GT tem o objetivo de agregar trabalhos, concluídos ou em andamento, sobre o ensino e a aprendizagem da escrita na Educação Básica e no ensino superior. Assume-se, para tanto, a escrita como uma prática social teórica e metodologicamente ancorada nos estudos do letramento. Com base nessa concepção, espera-se trabalhos que discutam o acesso à escrita, gêneros textuais escritos, estratégias de aprendizagem, diferentes formas de participação social por meio da escrita, assim como pesquisas que investiguem seu papel ou significado em práticas e eventos de letramento escolar e acadêmico.

GT2 – ESCRITA ACADÊMICA: ESTUDOS, PERSPECTIVAS E PRÁTICAS NO ENSINO SUPERIOR Elizabeth Maria da Silva – UFCG/PPGLE

Eliete Correia dos Santos – UEPB-UFCG

Neste Grupo de Trabalho, objetiva-se divulgar resultados de pesquisa (em andamento ou concluídas) que focalizem a escrita acadêmica sob diferentes perspectivas teórico-metodológicas, bem como investigações voltadas para a análise de práticas de ensino de escrita em contextos universitários. Espera-se refletir sobre os significados da escrita, seus usos, funções e práticas sociais. Além disso, almeja-se contribuir para a construção de conhecimentos sobre experiências pedagógicas direcionadas para o ensino de escrita.

GT3 – PRÁTICAS E PROPOSTAS DE INCLUSÃO SOCIAL NO ENSINO DE LÍNGUAS Tatiana Fernandes Sant’ana – UEPB

Diana Ribeiro Guimarães Farias – UEPB

A discussão sobre o desenvolvimento e a efetiva viabilização de práticas de educação inclusiva em todos os níveis de ensino – desde a Educação Básica até o espaço acadêmico- se faz primordial, contemporaneamente, tendo em vista os constantes conflitos que professores vivenciam em sua prática, pelo fato de, na maioria das vezes, esses apresentarem representações pré-concebidas sobre o aluno com deficiências e/ou ainda não serem capacitados para atender às demandas dessa cultura e, portanto, acabarem não cumprindo o papel esperado de “mediador intercultural” (FAGUNDES e FONTANA, 2016) nem contribuírem para a participação social do discente no ensino. Logo, o presente grupo de trabalho objetiva reunir pesquisas concluídas ou em andamento que proponham a discussão sobre práticas, avaliação, relatos e propostas de inclusão no ensino de línguas (materna, estrangeira), seja em contexto de formação ou no exercício da docência. Coadunando com as concepções teóricas da Linguística Aplicada, compreendemos que essa questão é um problema de interesse social em que a linguagem exerce um papel central, colaborando para a construção de alternativas sociais para os sujeitos que representam “as vozes do Sul” (MOITA LOPES, 2009) e que, em sua maior parte, são marginalizados.

GT4 – GÊNEROS DA ORALIDADE EM CONTEXTOS (ESCOLARES E DIGITAIS) DE ENSINO Ana Virgínia Lima da Silva Rocha – UFRN

Bruno Alves Pereira – UEPB

Williany Miranda da Silva – UF

Este GT tem por objetivo reunir trabalhos de pesquisas concluídos, ou em andamento, em nível de pós-graduação, que possam oportunizar reflexões sobre temas como gêneros orais, contextos escolares e digitais de ensino, colocando a formação docente como central para a intermediação dos conflitos entre escola e sociedade. Neste sentido, aceitam-se trabalhos oriundos de diferentes abordagens teórico-metodológicas que servirão como interlocução necessária para dar visibilidade a estes objetos de estudo/ensino.

GT5 – TECNOLOGIAS DIGITAIS NO ENSINO-APRENDIZAGEM DE LÍNGUAS Manassés Morais Xavier – UFCG

Maria Lúcia Serafim – UEPB

O presente GT abriga trabalhos de pós-graduação, concluídos e/ou em andamento, que problematizam discussões sobre o uso das Tecnologias Digitais da Informação e da Comunicação (TDICs) em contextos de ensino-aprendizagens de línguas, seja na Educação Básica, seja no Ensino Superior. Assim, sua justificativa consiste na necessidade de contribuir com reflexões que concebam a produtividade de interfaces tecnológicas, como redes sociais, jogos, dentre outras, em prol da construção de letramentos digitais, bem como da formação docente em sintonia com a cultura digital.

GT6 – A FORMAÇÃO DOCENTE PARA O ENSINO DA LEITURA NA SALA DE AULA DA EDUCAÇÃO BÁSICA Eulália Vera Lúcia Fraga Leurquin – UFC

Maria de Fátima Alves – UFCG

A formação de professores de línguas que atuam na Educação Básica, com ênfase na atividade de leitura. Discutimos sobre a formação de professores; o material da aula de leitura; a didática do ensino de leitura; e o agir professoral na aula de leitura. Nossos objetivos são refletir sobre a formação do professor, para atuar em sala de aula de leitura da Educação Básica, e analisar prática de leitura em sala de aula do professor em (auto)formação. Aceitamos trabalhos de fundamentação teórica diversa, dentro do contexto da Linguística Aplicada, a partir de resultados de pesquisas.

GT7 – TEORIA DIALÓGICA DO DISCURSO: PERSPECTIVAS E CONTRIBUIÇÕES PARA O ENSINO DE LEITURA E ESCRITA Patrícia Silva Rosas de Araújo – UEPB

Pedro Farias Francelino – UFPB

Enxergar a leitura e a escrita numa abordagem dialógica é construir possibilidades de novas interações entre alunos e professores. Nesse contexto, o objetivo deste GT é agregar trabalhos teóricos ou empíricos que reflitam sobre o ensino de leitura e escrita dos diferentes gêneros discursivos usados em contextos de interação social, mais especificamente no âmbito escolar, fundamentados na perspectiva da Teoria Dialógica do Discurso.

GT8 – DIDATIZAÇÃO, CONSTRUÇÃO DE SABERES E ANÁLISE DE TEXTOS ACADÊMICO-CIENTÍFICOS Regina Celi Mendes Pereira – UFPB

Francisco Vieira da Silva – UFERSA

Hermano Aroldo Gois Oliveira – UFPB

Este Grupo de Trabalho (GT), por defender a indissolubilidade da interligação entre aspectos linguísticos, psicológicos e sociais, como também a clareza desses aspectos em práticas linguageiras situadas (ou nos textos-discursos) (BRONCKART, 2006), justifica-se por reunir pesquisas concluídas ou em andamento que, de um lado, fortaleçam perspectivas de estudos que tematizam dispositivos didáticos e abordagens pedagógicas na/para formação universitária, a partir de textos escritos; e de outro, que evidenciem articulações teórico-metodológicas nos estudos da linguagem acadêmica. Objetiva-se, nesse sentido, a) possibilitar a reflexão sobre questões atuais a respeito da didatização, dos saberes teóricos e da análise de gêneros discursivos/textuais na universidade em diferentes disciplinas das ciências humanas/sociais, de modo a agregar pesquisas que tomam os textos acadêmico-científicos como objeto de estudo; e b) discutir as suas características composicionais, atrelando a uma reflexão acerca do planejamento didático-pedagógico, do ensino-aprendizagem e da produção desses textos no âmbito institucional. Para tanto, espera-se que a discussão, aqui encaminhada, tenha como suporte quaisquer bases teórico-metodológicas, a exemplo da Linguística Sistêmico-Funcional (HALLIDAY, 2004), das sociorretóricas (SWALES, 1990), da Interacionista Sociodiscursiva na Linguística Aplicada (BRONCKART, 1999, 2006, 2008), da Análise Dialógica do Discurso (BAKHTIN, 2010), bem como das diversas perspectivas de estudos dos discursos de orientação francesa (FOUCAULT, 2010).

GT9 – ESTUDOS DA SIGNIFICAÇÃO E ENSINO DE LÍNGUAS Mônica Mano Trindade Ferraz – UFPB

Sayonara Abrantes de Oliveira Uchôa – IFPB /UERN

Pretende-se discutir a contribuição da semântica/pragmática nas práticas de sala de aula no ensino de línguas, considerando as atividades de leitura, escrita, reescrita e análise linguística. Trata-se de um debate sobre o quanto o estudo da significação pode contribuir nesse processo, considerando os espaços oficiais em que tal relação se manifesta, como material didático, avaliações e documentos orientadores, assim como a relevância desses estudos na Formação Docente.

GT10 – ENSINO DE LITERATURA E FORMAÇÃO DE PROFESSORES Tassia Tavares de Oliveira – UFCG

Aluska Silva Carvalho – UFPB

Paloma Oliveira do Nascimento – UFPB

O ensino de literatura nas escolas vem passando por transformações impulsionadas pelas pesquisas sobre o ensino da leitura e o letramento literário. Entre as novas exigências está a necessidade de (re)afirmação de uma identidade leitora e mediadora por parte dos professores. A formação do profissional de letras, portanto, precisa contemplar a discussão de metodologias para o ensino do texto literário. Este GT se interessa por pesquisas, concluídas ou em andamento, que reflitam sobre o ensino de literatura nos níveis fundamental e médio; sobre relatos de experiência docente; propostas de ensino que privilegiem a leitura do texto literário e reflitam sobre as metodologias de ensino; e ainda reflexões sobre a formação inicial dos professores de literatura nos cursos de letras.

GT11 – LITERATURA INFANTIL E JUVENIL E DIVERSIDADE DE GÊNEROS LITERÁRIOS Márcia Tavares – UFCG

Ana Lucia de Souza – UEPB

Renata Junqueira de Souza - UNESP/CELLIJ

O objetivo é congregar pesquisas (em andamento ou finalizadas) sobre as temáticas contemporâneas encontradas na literatura infantojuvenil, especificamente sobre estudos do texto ou sobre a relação entre texto e imagem, as relações entre literatura e cinema/animações, estudos críticos sobre ilustração em obras da literatura infantil e juvenil, investigações sobre histórias em quadrinhos, entre outros em que a diversidade de realização estética seja central para as possibilidades de ampliação de experiências de leitura, e ainda, a discussão sobre mídia/mercado e a produção/recepção/divulgação da literatura destinada ao público infantil e juvenil.

GT12 – ENSINO DE LITERATURA E A AVENTURA DE FORMAR LEITORES Naelza de Araújo Wanderley – UFCG

Adriana Martins Cavalcante – IFPB

O Grupo de Trabalho receberá propostas de comunicações orais relacionadas aos temas: ensino de literatura e formação de leitores, objetivando reunir pesquisas, concluídas ou em fase de desenvolvimento, que estejam voltadas para a mediação do texto literário em sala de aula, para a formação do leitor de literatura e para as produções literárias que circulam nos espaços formais e informais da educação. Nesse contexto, também serão contempladas as discussões sobre a adaptação e a intertextualidade enquanto recursos do texto literário que enriquecem a formação do leitor, da educação infantil ao ensino médio.

GT13 – A POÉTICA SOCIOLÓGICA NO ENSINO: A REFRAÇÃO DA VIOLÊNCIA, DA MEMÓRIA E DO ESQUECIMENTO NAS MÍMESIS DA LITERATURA BRASILEIRA Derivaldo dos Santos – UFRN

Fábio de Sousa Dantas – UFPB

O GT captará propostas que efetuem leituras e análises de textos da Literatura Brasileira, selecionados a partir das relevâncias estéticas e temáticas mais aproximadas das confluências da modernidade e da contemporaneidade. O conceito de “Poética Sociológica”, desenvolvido por Medviedev, e que também encontra desdobramentos nas discussões dialógicas de Mikhail Bakhtin, assim como nas valiosas contribuições de Antonio Candido acerca das nuances entre literatura e sociedade, sinaliza um respaldo teórico possível para a construção dos trabalhos. Assim, sugere-se o debate a partir de obras que refratem a violência (SELIGMANN-SILVA 2002; GINZBURG, 2013), a memória, o esquecimento (BENJAMIN, 1994), bem como outros subtemas cognados a estes. Atenta-se ainda para que as leituras literárias se direcionem à sala de aula, com o intuito de gerir sugestões didáticas plausíveis ao exercício do docente de literatura, nos diversos níveis de ensino.

GT14 – FORMAÇÃO DOCENTE E SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA: DESAFIOS, SABERES E PRÁTICAS DO PROFESSOR DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS Marco Antonio Margarido Costa – UFCG

Vivian Monteiro – UFCG

O mundo contemporâneo vem passando por inúmeras transformações, sobretudo, no campo das tecnologias da comunicação e da informação. Tais transformações provocam implicações em diversos setores da nossa sociedade atual, dentre eles, o educacional – fortemente influenciado pelos avanços do mundo cada vez mais tecnologizado, globalizado e interconectado. Com o objetivo de proporcionar um compartilhamento de reflexões/discussões sobre a formação de professores, este grupo de trabalho visa reunir resultados de pesquisa (concluídas ou em andamento) nesse contexto contemporâneo brevemente descrito, que abordem questões relativas à formação de professores de línguas estrangeiras. Serão considerados trabalhos que envolvam aspectos ligados especificamente à formação (inicial, continuada ou permanente), à constituição de saberes docentes, à identidade profissional e a práticas pedagógicas que explorem modos diversos de construir conhecimento e sentidos no processo de ensino e/ou aprendizagem.

GT15 – PRÁTICAS DE LEITURA PARA UMA EDUCAÇÃO DE BASE INTERCULTURAL E ANTIRRACISTA Maria Angélica de Oliveira – UFCG

Patricia Pinheiro Menigon – UFMA

Deborah Alves Miranda – UFS

Compreendida como processo sócio-histórico-cultural e político, a leitura é um instrumento que nos habilita a desvelar os valores e as representações constitutivas da sociedade; a compreender o mundo e o nosso fazer no mundo. Daí sua relevância para a formação docente. Nesse sentido, nosso grupo de trabalho acolhe pesquisas concluídas, ou em andamento, em nível de pós-graduação, que visem investigar práticas de ensino de leitura, no plano do real ou daficcionalidade, orientadas no sentido da promoção de uma educação de base intercultural e antirracista. Objetivamos, portanto, discutir práticas de ensino para o reconhecimento positivo da diversidade étnico-racial.

GT16 – ESTUDOS DA TRADUÇÃO: TEORIA, PRÁTICA E ENSINO Carmen Verônica de A. R. Nóbrega – UFCG

Marcílio Garcia de Queiroga – UFCG

Este GT propõe discutir a construção de significados a partir da análise de traduções interlinguais e intersemióticas. As submissões devem abordar os Estudos da Tradução em variadas linguagens. Nesse sentido, serão contemplados trabalhos que abordem as afinidades tradutórias ao caráter linguístico, literário, discursivo, cultural, tecnológico, didático, autoral e editorial, tendo em vista as suas aplicações como objetos necessários em contexto atual, visando à interação entre povos e culturas e refletindo sobre o ensino da tradução no Brasil

GT17 – TEORIAS, CRÍTICAS E LEITURAS DA LITERATURA CONTEMPORÂNEA Isis Milreu – UFCG

Wanderlan Alves – UEPB

A partir da multiplicidade de desafios e questões teóricas, éticas e contextuais que marca as artes em suas relações com as diversas esferas do conhecimento, da vida e do tecido social atualmente, este GT visa à discussão teórico-crítica e à análise de produtos e objetos estéticos e literários pertinentes ao contemporâneo, especialmente no Brasil e na América Latina. A proposta procura englobar estudos diversos, que permitam cruzamentos epistemológicos e colaborem para uma maior apreensão das tensões inerentes à contemporaneidade, no âmbito da literatura e das artes recentes.

GT18 – LIBRAS: LINGUÍSTICA E ENSINO Conceição de Maria Costa Saúde – UFCG

Aline Risslei Florindo Silva – UFCG

Carolina Silva Resende da Nóbrega – UFPB/ DLS

O GT receberá trabalhos que apresentem pesquisas concluídas ou em andamento e relatos de experiência que abordam descrições da Libras nos níveis fonológico, morfológico, sintático e semânticos; didatização dos gêneros textuais da Libras como L1 e L2; formação docente; e sistema de escrita de sinais. A Língua Brasileira de Sinais, utiliza-se de um canal visual-espacial, sendo dotada de uma gramática constituída a partir de elementos próprios, que se estruturam a partir de mecanismos fonológicos, morfológicos, sintáticos e semânticos. O GT objetiva constatar e enfatizar o status linguístico da Libras, o ensino de Libras como primeira e segunda língua – L1 e L2, as práticas pedagógicas vinculadas a esse ensino por meio de recursos visuais, materiais didático-pedagógicos como jogos, dinâmicas, ludismo, tecnologias assistivas e as metodologias de ensino da Libras tendo seus gêneros textuais como dimensões ensináveis. Tornam-se relevantes apresentações de pesquisas no sentido de registrar diferentes sistemas propostos a fim de tornar viável a representação de uma língua de matriz visual e modalidade espacial, nesse caso, a Língua Brasileira de Sinais (Libras). Por isso, a reconstrução de um caminho de formação docente que possibilite por parte dos saberes a sensibilização da sociedade quanto a profissionalização e o ensino de Libras.

GT19 – ESTUDOS DOS GÊNEROS LITERÁRIOS DA LÍNGUA DE SINAIS Joyce Gomes de Alencar – UFCG

Joatan David Ferreira de Medeiros – UFRN

Shirley Barbosa das Neves Porto – UFCG

O GT receberá trabalhos que apresentem pesquisas concluídas ou em andamento e relatos de experiência que abordem o estudo da literatura surda e da literatura em língua de sinais; gêneros literários da língua de sinais; o ensino da literatura surda e da literatura em língua de sinais; literatura infanto-juvenil em língua de sinais; a tradução e a adaptação para a língua de sinais e da língua de sinais para a língua oral. No Brasil, a literatura surda e a literatura em língua de sinais historicamente estiveram ausentes de práticas escolares e dos currículos das escolas específicas para surdos, das escolas inclusivas e das escolas comuns para ouvintes, sendo necessário e urgente que essa realidade seja mudada, pois a literatura surda e a literatura em língua de sinais estão em vários tipos e gêneros textuais literários sinalizados e as vivências com esses textos e seus estudos precisam ser divulgados. No contexto de produção literária em língua de sinais a poesia e a narrativa para criança e adolescente surdos ocorre principalmente em escolas para surdos bilíngues, salas de aula bilíngues em escolas comuns ou na escola regular inclusiva e este grupo de trabalho propõe reflexões sobre a literatura surda e a literatura em língua de sinais, destacando a importância da divulgação de pesquisas sobre os métodos diferenciados e a necessidade de o educador conhecer sobre o ensino da literatura surda, os estudos sobre a crítica da literatura e a pedagogia surda no ensino de literatura.